02/08/2017 às 11:10h
Estado diz que Siqueira fez denúncias graves, mas o defende após Perri abrir inquérito

Celly Silva/GD


Depois que o desembargador do Tribunal de Justiça Orlando Perri determinou abertura de inquérito policial militar (IPM) para apurar suposta prática de prevaricação por parte do secretário de Estado de Justiça e Direitos Humanos, coronel PM Airton Benedito Siqueira Júnior, o governo do Estado emitiu uma nota em defesa dele, afirmando que o mesmo compareceu espontaneamente ao encarregado das investigações na Corregedoria da PM, o coronel Jorge Catarino Morais Ribeiro, e prestou informações na condição de depoente, e não de indiciado ou suspeito.


Divulgação

Coronel Airton Siqueira

O gabinete de Comunicação (Gcom) informou ainda que o secretário fez “revelações e denúncias graves” e que o entendimento do governo sobre isso é que o caso precisa ser apurado “em toda sua extensão e profundidade”, da mesma forma como tem sido conduzida a investigação sobre o esquema de interceptações telefônicas clandestinas no âmbito da Polícia Militar.

Em seu depoimento ao corregedor da PM, Airton Siqueira revelou que ocorreram grampos ilegais contra o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde Otaviano Pivetta, durante as eleições municipais do ano passado.

Na nota, o governo do Estado reiterou sua confiança na Justiça e afirmou apoio às investigações para que os responsáveis sejam punidos.

Confira a nota na íntegra:

Nota de esclarecimento

Acerca da determinação do desembargador Orlando de Almeida Perri para abertura de IPM (Inquérito Policial Militar) contra o secretário de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), Cel PM Airton Siqueira, o Governo de Mato Grosso, por meio do Gabinete de Comunicação, vem a público esclarecer o que segue:

1. O secretário Airton Siqueira compareceu espontaneamente ao encarregado do IPM que apurou denúncia sobre suposta central de grampos clandestina no âmbito da Polícia Militar do Estado e prestou esclarecimentos na condição de “depoente”, e não como indiciado ou suspeito. Tanto assim que não foi denunciado no referido procedimento.

2. Em seu depoimento, o secretário fez revelações e denúncias graves das quais tomou conhecimento, e é entendimento do Governo que tais denúncias precisam ser apuradas em toda a sua extensão e profundidade, da mesma forma que outros fatos trazidos à investigação até o momento estão sendo investigados.

3. O Governo do Estado de Mato Grosso reitera sua confiança na Justiça e na verdade, apoia todas as investigações e deseja que ao final tudo seja esclarecido e que qualquer agente público ou não que tenha culpa comprovada seja punido na forma da lei.

Cuiabá-MT, 01 de agosto de 2017.

GCOM – Secretaria do Gabinete de Comunicação do Governo do Estado de Mato Grosso

Espalhe por ai:
Link:
Publicidade
Power by
Todos os direitos reservados. 2009-2017 - Bem Mais Comunicação - CNPJ 15.349.563/0001-67. Jornalista responsável Jose Paulo DRT MT- 000273 - Solange Priscila DRT MT- 2121