06/10/2017 às 10:21h
Complicou! Argentina empata com Peru e chega à última rodada fora até da repescagem

A Argentina até trocou o mando do Monumental de Núñez, estádio do River Plate, para a Bombonera, casa do Boca Juniors, para encarar o Peru, no último jogo como mandante pelas eliminatórias sul-americanas.

Com a torcida mais próxima do gramado, pressionando o rival e empurrando o time, o objetivo era claro: vencer ou vencer.

Mas nem mesmo a força das arquibancadas ajudou. Em um duelo muito tenso, a equipealbiceleste apenas empatou sem gols com os peruanos e agora corre risco real de não ir para a Copa do Mundo da Rússia, no próximo ano.

O resultado da noite desta quinta-feira fez com que a Argentina terminasse a 17ª rodada fora da zona de classificação e da repescagem para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia. A seleção bicampeã mundial é a sexta colocada, com 25 pontos. 

Está empatada justamente com o Peru, que leva vantagem no número de vitórias (7 a 6) e no número de gols marcados (26 a 25). O quinto colocado jogará a repescagem contra a Nova Zelândia, campeã da Oceania, nos dias 6 e 14 de novembro. Apenas os quatro primeiros garantem vaga direta no Mundial.

Nem tudo está perdido para os argentinos. Ainda resta uma rodada para eles lutarem pela classificação. 

No próximo dia 10, os jogadores da equipe albiceleste enfrentarão o Equador, no estádio Olímpico de Atahualpa, jogando por tudo ou nada. Os equatorianos já estão eliminados , mas tem uma rara chance de complicar a vida dos argentinos.

E a rodada será quente. Haverá um duelo direto entre Peru e Colômbia, que tem 26 pontos e está na quinta colocação, em Lima.

O Paraguai, que tem 24, enfrentará a Venezuela, já eliminada, em casa. E o Chile, terceiro com 26, pegará o Brasil, em São Paulo.

Vale lembrar que a Argentina está presente de forma consecutiva nas Copas desde 1974. O Peru, por sua vez, não joga desde 1982.

  • O jogo

Dominante, mas com dificuldade de encontrar os espaços tendo Messi tão bem marcado, a primeira oportunidade clara de gol da Argentina veio aos 13 minutos, justamente com o camisa 10, após jogada ensaiada em cobrança de escanteio. A zaga peruana afastou o perigo no susto.

Dez minutos depois, Di Maria ficou com sobra de bola na entrada da área e buscou o ângulo oposto, mas isolou, para desespero da Bombonera. Aos 33, o único ataque mais incisivo do Peru gerou alguns segundos de silêncio no estádio xeneize. O lateral flamenguista Trauco cruzou rasteiro e Farfán teve liberdade dentro da área para finalizar, mas errou o alvo.

Pouco antes do intervalo, Messi despertou. Primeiro executou sua típica jogada: recebeu na entrada da área, cortou para a esquerda e mandou a bomba, de “rosca”. A bola raspou a trave. Na sequência, o craque achou Benedetto nas costas da zaga adversária, mas o centroavante do Boca Juniors testou por cima do travessão.

Jorge Sampaoli, então, decidiu sacar Di Maria para apostar em Rigoni. Além da troca, a postura da equipe em campo mudou, com mais agressividade e Messi inspirado. Antes do primeiro minuto, o capitão argentino deixou Benedetto na cara do gol mais uma vez. Gallese defendeu com o peito e o próprio Messi pegou o rebote. De primeira, do jeito que deu, mandou a bola na trave.

Foi só uma amostra do que o goleiro peruano estaria por fazer. Aos 2 minutos, Biglia arriscou de longe e Gallese buscou a bola no ângulo. Antes da metade da etapa final, Lionel Messi usou toda sua inteligência para colocar Gómez, Benedetto e Rigoni em situações claras de acabar com o drama dos donos da casa. Em todas elas, Gallese foi melhor que os atacantes.

O enredo ganhou ainda mais cara de drama quando Sampaoli resolveu apostar em Gago, mesmo ciente de que o veterano jogador não tinha 100% das condições físicas. A torcida cantou o nome do volante ex-Boca Júniors, mas em apenas quatro minutos Gago sentiu uma lesão no joelho e precisou sair para a entrada de Pérez.

Já sem muita organização, apelando para jogadas individuais e bolas aéreas, a Argentina até tentou sufocar os peruanos. A torcida, que apoiou o jogo todo, não conseguiu esconder a apreensão e a impaciência nos minutos finais. No fim, o drama virou melancolia na Bombonera assim que Wilton Sampaio soou o apito pela última vez.

  • Ficha técnica

ARGENTINA 0 X 0 PERU

Local: La Bombonera, em Buenos Aires (Argentina) 
Data: 5 de outubro de 2017 (Quinta-feira) 
Horário: 20h30 (de Brasília) 
Árbitro: Wilton Sampaio (Brasil) 
Assistentes: Kleber Lúcio Gil (Brasil) e Bruno Boschilia (Brasil) 
Cartões amarelos: ARGENTINA: Biglia e Mascherano. PERU: Farfán, Tapia e Guerrero

ARGENTINA: Romero, Otamendi, Mascherano e Mercado; Acuña, Lucas Biglia, Ever Banega (Gago) (Pérez), Lionel Messi e Angel Di María (Rigoni); Gómez e Benedetto. Técnico: Jorge Sampaoli

PERU: Gallese, Aldo Corzo, Miguel Araujo, Alberto Rodríguez e Miguel Trauco; Renato Tapia, Yoshimar Yotún, Peña (Cartagena), Farfán (Andy Polo) e Édison Flores; Paolo Guerrero. Técnico: Ricardo Gareca

Espalhe por ai:
Link:
Publicidade
Power by
Todos os direitos reservados. 2009-2017 - Publicidade Nova Visão - CNPJ 07.296.611/0001-78. Jornalista responsável Jose Paulo Batista DRT MT- 000273 - Solange Priscila DRT MT- 002121