05/12/2017 às 07:49h
Corregedoria do MP arquiva denúncia contra promotor Mauro Zaque

GD


O corregedor  Orlando Rochadel Moreira, do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), arquivou a reclamação proposta pelo governador Pedro Taques (PSDB) contra o promotor de justiça Mauro Zaque. A decisão é da última sexta-feira (1º).

Chico Ferreira

Corregedoria do MP arquiva denúncia contra promotor Mauro Zaque

Na representação, o governador acusou o promotor de falsificação de documento público, prevaricação e denunciação caluniosa. Isto porque Zaque foi o autor da representação que denunciou o esquema de interceptações telefônicas ilegais operado pela Polícia Militar no Estado.

O esquema era realizado por meio da modalidade “barriga de aluguel” e teria vitimado centenas de pessoas entre políticos, jornalistas e até membros do Judiciário. Ele, inclusive, denunciou Taques à Procuradoria Geral da República (PGR).

Ainda conforme a representação, Taques relatou que só foi Zaque deixar o cargo de secretário de Segurança, na sua gestão, ele resolveu denunciá-lo à PGR de forma inverídica por omissão em razão de supostamente não ter tomado providências quanto ao esquema dos grampos.

Inclusive, a denúncia de Zaque continha um ofício adulterado que teria a intenção de demonstrar que o promotor o avisou formalmente sobre as ilegalidades, fato que, de acordo com o governador, nunca ocorreu.

Zaque, por outro lado, afirmou que Taques teve conhecimento de todo o esquema por meio de apresentação de power point, que chegou a ser impressa e envolvia o alto escalão do secretaria de Taques.

José Medeiros/Gcom-MT

Taques acusou o promotor de falsificação de documento público e prevaricação 

Algum tempo depois, a própria Controladoria Geral do Estado (CGE) descobriu que o ofício protocolado por Zaque para avisar formalmente o governador foi adulterado dentro da Casa Civil. Na época, a secretaria era comandada pelo advogado Paulo Taques, um dos principais alvos das investigações.

Ao analisar o caso, o conselheiro-auxiliar da Corregedoria, José Augusto Peres Filho, apontou que não existem elementos suficientes para a instauração de processo administrativo disciplinar contra Zaque.

Ele destacou ainda que o próprio Ministério Público do Estado já havia arquivado a sindicância contra o promotor também movido por Taques para impedir Zaque de atuar em investigação, processar e se manifestar em qualquer processo relacionado aos grampos telefônicos ilegais.

O corregedor nacional do MP, Orlando Rochadel Moreira, acatou o parecer de Peres Filho e determinou o arquivamento do procedimento contra Zaque por “inexistência de irregularidades”.

Além disso, determinou a comunicação da decisão ao Plenário da Corregedoria e às partes interessadas, como Taques, alertando-o “sobre o descabimento da interposição de recurso de embargos de declaração contra a decisão”.
 

Espalhe por ai:
Link:
Publicidade
Power by
Todos os direitos reservados. 2009-2017 - Publicidade Nova Visão - CNPJ 07.296.611/0001-78. Jornalista responsável Jose Paulo Batista DRT MT- 000273 - Solange Priscila DRT MT- 002121