11/04/2018 às 05:35h
Candidatura de Selma Arruda não 'empolga', avalia Júlio Campos

 GD


Um dos principais líderes do Democratas em Mato Grosso, o ex-senador Júlio Campos já está fazendo avaliações sobre o cenário político no Estado e projetou que a candidatura da juíza aposentada Selma Arruda não deve “empolgar”.

Otmar de Oliveira

Júlio avalia que candidatura de Selma não 'empolga’

Selma se filiou ao PSL na última semana e já foi anunciada como pré-candidata ao Senado para a disputa das eleições neste ano. Ela deve concorrer com o ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD) e Jayme Campos (DEM), que já demonstraram interesse em uma das duas vagas que serão abertas.


Para Júlio Campos, Selma é um “quadro novo” que surgiu na politica mato-grossense, embora já fosse esperada sua participação nas eleições deste ano.

“Há mais de um ano já se cogitava que ela poderia deixar a magistratura para ser uma possível candidata a um parlamento federal e agora se concretizou”, disse ele, durante entrevista ao Jornal do Meio Dia, da TV Vila Real, nesta segunda-feira (9).

A trajetória de Selma como magistrada, segundo Júlio,  precisa ser respeitada, mas sua candidatura não deve ascender ao longo do processo eleitoral. Selma se aposentou em março e teve uma carreira marcada por julgar políticos corruptos e organizações criminosas em Mato Grosso.

“Ela é uma candidata que temos que respeitar, com bons serviços como juíza, mas não sei se vai empolgar a nível de eleição. Mas é uma candidata forte. Qualquer partido politico não pode deixar de considerar a candidatura de Selma”, afirmou.

Otmar de Oliveira

Juiza aposentada Selma Arruda

Julio Campos aproveitou ainda para relembrar que outros políticos oriundos do “núcleo judiciário” já estiveram na mesma posição de Selma e não deram sorte, “como o ex-juiz federal Julier Sebastião e o ex-procurador da república, governador Pedro Taques (PSDB)”.

“É uma candidatura diferente, que pode emplacar, embora a experiência das pessoas do judiciário e membros do Ministério Público na política, uns tiveram sucesso e insucesso”, disse.

Julier concorreu às eleições a Prefeitura de Cuiabá, em 2016, e perdeu. Já Taques foi eleito governador, mas amarga o distanciamento do seu grupo político do seu projeto de reeleição para este ano.

A juíza aposentada, por sua vez, já anunciou que deverá adotar a bandeira de combate à corrupção e a defesa dos valores morais, familiares e éticos.

Espalhe por ai:
Link:
Publicidade
Power by
Todos os direitos reservados. 2009-2018 - Publicidade Nova Visão - CNPJ 07.296.611/0001-78. Jornalista responsável Jose Paulo Batista DRT MT- 000273 - Solange Priscila DRT MT- 002121