01/10/2019 às 07:29h
Polícia Civil realiza ações de prevenção em 16 unidades do Programa Siminina
Entre os meses de agosto e setembro, 1,1 mil crianças e adolescentes, na faixa etária entre 07 e 15 anos foram atendidas

Assessoria | PJC-MT

A Polícia Judiciária Civil, por meio da Coordenadoria de Polícia Comunitária e o projeto social Rede Digital pela Paz, realizou ações de prevenção qualificada entre os meses de agosto e setembro para 1.100 crianças e adolescentes, na faixa etária entre 07 e 15 anos, nas 16 unidades do Programa Siminina, da Prefeitura Municipal de Cuiabá, distribuídas em todas as regiões da Capital,

A parceria existente há alguns anos permitiu o atendimento de mais de 1.100 meninas do programa, que adota medidas preventivas sócioeducacionais exclusivamente para meninas que se encontram em situação de risco e vulnerabilidade social.

A Polícia Civil desenvolve essas ações diante do complexo cenário encontrado atualmente, que cria um ambiente propício para a proliferação da violência em suas mais variadas formas, uma vez que locais e grupos que até pouco tempo atrás não se cogitavam a prática delituosa, infelizmente têm sofrido com eventos criminosos cada vez mais corriqueiros.

O bullying e o cyberbullying são algumas destas formas de violência, em que sob a falsa alegação de “brincadeiras” estudantes, dentro do ambiente escolar ou até mesmo fora dele, têm praticado xingamentos, ameaças, agressões físicas ou psicológicas, causando dor e sofrimento a colegas de escola, podendo chegar a situações mais sérias ou consequências inesperadas.

Segundo o investigador Edmir Sena, gerente do projeto Rede Digital pela Paz, com o avanço e popularização da tecnologia, especialmente dos aparelhos “smartphones” (aparelhos celulares que possuem acesso à internet e podem receber diversos aplicativos), os estudantes têm se utilizados desta ferramenta para o cometimento do cyberbullying.

“Infelizmente tal prática tem se alastrado como a própria disseminação da tecnologia, onde muitas vezes as crianças, adolescentes e jovens, não se atentam que podem estar incorrendo em uma ação delituosa. Todavia tais ações têm o poder de afetar, ferir ou impactar de forma até mais intensa, pois pode espalhar uma foto, uma mentira ou até mesmo uma ofensa, para um grupo enorme de pessoas em questões de segundos”, destacou o policial.

Diante do contexto uma equipe da Polícia Comunitária visitou as 16 unidades do Programa Siminina, realizando um novo formato de abordagem composto de: palestra, roda de conversas, tira-dúvidas, além de aproximação entre as “Simininas e os Policiais Civis”, gerando um ambiente extremante amistoso e livre de preconceitos.

Além dos temas de bullying e cyberbullying, foram abordados ainda: abuso sexual de crianças e adolescentes, tráfico de pessoas, prevenção à gravidez na adolescência, violência doméstica, prevenção à violência contra mulher, uso da internet e das redes sociais, empoderamento feminino e desenvolvimento de carreira. Todos estes temas foram trabalhados de forma lúdica e no linguajar próprio para a faixa etária do público-alvo.

Cada um dos 32 eventos foi desenvolvido no período de 90 a 140 minutos, tempo que demonstrou ser altamente proveitoso. Como parte do encontro, as Simininas eram desafiadas a produzirem ou uma redação (para as alfabetizadas), ou um desenho. O material recebido como feedback dos eventos deixou os policiais muito realizados por perceber o grau de assimilação das Simininas quanto aos temas abordados.

De acordo com o Coordenador de Polícia Comunitária, o investigador de polícia e mestre em Educação Ademar Torres, em mais de 17 anos de carreira, ele ainda não havia visto uma parceria tão exitosa quanto a realizada com o programa Siminina, “conseguindo impactar de forma tão intensa um público tão seleto, quanto o atendido pelo projeto”, disse.

A investigadora de polícia Dayane Carvalho, uma das palestrantes, ficou encantada com a receptividade das meninas, bem como com o cuidado e carinho recebido pelas jovens atendidas em cada uma das unidades, que vai desde o uniforme rosa, (tênis, calça, camiseta, poncho e acessório de cabelo), e principalmente o atendimento de todos os profissionais que trabalham junto às meninas.

A equipe da Polícia Civil, já iniciou os preparativos para o próximo ciclo de palestras que devem ocorrer no próximo semestre, possivelmente abordando de forma mais profunda a questão da tecnologia e seus desdobramentos no nosso cotidiano.

Espalhe por ai:
Link:
Publicidade
Power by
Todos os direitos reservados. 2009-2019 - SOLANGE PRISCILA DE SOUZA - CNPJ: 15.349.563/0001-67. Jornalista responsável Solange Priscila DRT MT- 002121