12/01/2021 às 08:54h
Cultivar o próprio alimento é um incentivo para a alimentação adequada e saudável

Uma comida fresca é capaz de despertar todos os seus sentidos, visão, tato, olfato e paladar. Isso porque um alimento recém-colhido apresenta uma cor mais viva, uma textura mais firme, um aroma mais marcante e, claro, um sabor mais intenso. Sem contar que conhecer a origem daquilo que será consumido contribui para  uma alimentação adequada e saudável.

Cultivar alimentos em casa já é a opção de muita gente. Mas não se engane achando que ter uma horta é privilégio e exclusividade de quem dispõe de um quintal grande. 

Mesmo em pequenos espaços é possível cultivar algumas espécies. A palavra de ordem é uma só: adaptação. Segundo Rafael Rioja, Nutricionista e Analista em Regulação do Programa de Alimentação Saudável e Sustentável do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), o ponto de partida para definição dos melhores temperos e alimentos a serem cultivados é o espaço disponível, seja em um apartamento ou em uma casa.

Ele explica que a principal diferença vai ser, por exemplo, em relação à exposição solar e à dimensão da área útil para o cultivo. Por esse motivo, temperos e ervas como, por exemplo, manjericão, alecrim, cebolinha, hortelã e erva-doce são mais fáceis de cultivar em um apartamento. As espécies de tomates menores e as pimentas também costumam se dar bem nos espaços próximos às janelas.

Já hortaliças como cenouras, batatas, alfaces e alimentos similares até necessitam de espaços maiores, mas isso não impede que a fase inicial do cultivo seja feita no apartamento. Em seguida, com o desenvolvimento das plantas, elas podem ser deslocadas para espaços maiores como hortas comunitárias.

 
Espalhe por ai:
Link:
Esportes
ESPORTEFUTEBOL
Publicidade
Power by
Todos os direitos reservados. 2009-2021 - Grupo Nova Visão de Comunicação - /Jornalista responsável Solange Priscila DRT MT- 002121